Google+
segunda-feira , 11 dezembro 2017

Sua saúde está acordada?

sua saúde esta acordada?Nem sempre é possível dar conta de todas as atividades previstas para o dia.  Portanto, a alternativa é deixar para mais tarde ou acabar virando noites sem dormir. Desta maneira passa-se uma noite, outra e às vezes o mês inteiro sem saber o que é uma boa noite de sono. Como o tempo de descanso reduz, essa falta de sono pode gerar sérias consequências e mudanças no corpo humano.

O corpo se prepara para o sono através do hormônio melatonina, o qual é produzido pela glândula pineal, e tem a secreção diretamente relacionada ao ciclo claro-escuro. De acordo com a nutricionista Franciele Facco, a melatonina se mostra como um importante antioxidante e tem papel fundamental na regulação do estado sono/vigília, participando do controle do relógio biológico humano e animal.

A melatonina também influencia o ritmo de vários outros processos fisiológicos durante a noite: “a temperatura corporal cai, aumentam a mobilidade e a atividade das células de defesa, a formação dos anticorpos é estimulada, defesa contra os microrganismos é facilitada, o ritmo cardíaco e a pressão sanguínea diminuem, o sistema imunológico é estimulado e, na questão alimentar, a digestão torna-se mais lenta”, diz a profissional. Além disso, a melatonina pode ser usada como coadjuvante no tratamento de fibromialgia – um estado de saúde complexo e heterogêneo no qual há um distúrbio no processamento da dor por mais de 3 meses associado a outras características.

Quando há a queda da melatonina, podem ser percebidos índices de insônia. “Ficar sem dormir pode representar um estresse muito significativo, pois quando temos a diminuição desta, aumentamos o cortisol e a pressão arterial e diminuímos o nosso humor. Associado a isso, pode vir o aumento de peso – sim, ficar sem dormir pode engordar”, alerta Franciele.

Ainda há dúvidas sobre todos os mecanismos, mas já se sabe que os distúrbios provocados pelas alterações nos horários de sono/vigília influenciam o apetite, a saciedade e a ingestão alimentar, podendo gerar um quadro de obesidade. “O sono é essencial para equilibrar todas as funções fisiológicas e psicológicas do organismo, portanto um sono de qualidade está diretamente ligado aos fatores que previnem a obesidade”, explica. Segundo uma pesquisa americana, para cada hora a menos de sono, cresce em 20% a possibilidade de haver aumento do peso, e alguns especialistas acreditam que menos de 7 horas habituais de sono pode trazer consequências negativas para o corpo e para o cérebro.

A partir disso, a nutricionista indica “o uso de nutrientes para auxiliar no sono – seja para aumentar melatonina (como ácido fólico e vitamina B12), ou o uso de suplementos como: mulungu, passiflora, magnésio, l-taurina, Griffonia simplicifolia, melissa e camomila antes de dormir (ou em outros horários adequados conforme cada suplemento)”.  Checar os medicamentos; não praticar exercícios físicos até 3 horas antes de ir para a cama; evitar ler, ver TV, trabalhar no computador, mexer em contas, levantar assuntos polêmicos e discutir antes de dormir; não beber bebidas contendo cafeína após as 18h; evitar refeições volumosas e apimentadas antes de dormir, também ajudam num sono de qualidade que vai ajudar na questão da obesidade.

Franciele Silva Facco é Personal Diet – nutricionista, pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional pela VP/UNICSUL e pós-graduanda em Nutrição Ortomolecular com extensão em Nutrigenômica pela FAPES.

Confira também

Para mulheres: Faça as horas na academia valerem a pena

Mulher: conexão mente e corpo No universo feminino a representação do corpo, na maioria das …

Tática para envelhecer com saúde

Envelhecer é um processo natural e inevitável cujos sinais iniciam a partir dos 30 anos. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *