Google+
sexta-feira , 15 dezembro 2017

Menopausa sem sofrimento

Planejamento, atitude positiva e proatividade proporcionam uma menopausa saudável e com mais autoestima.

ESPECIAL_MULHER_MENOPAUSAA menopausa é uma fase delicada na vida da mulher, em que alterações nítidas de comportamento podem ocorrer. É quando a mulher está a um ano ininterrupto sem menstruação. E nesta transição a sensação de calor pode ser mais intensa e vir acompanhada da insônia, mudanças no humor, pele ressecada e falta de libido. Segundo a Ginecologista e Obstetra Graciela Machado, a menopausa é um estágio natural da vida da mulher. Não uma doença. Mas merece uma atenção especial.

Dra. Graciela explica que a menopausa acontece, em média, aos 50 anos. Existe, porém, uma relação genética e com a data da primeira menstruação. Nascemos com número certo de folículos (células germinativas) que vão ovular durante toda a nossa vida. Então quando começa a primeira menstruação (a menarca), já é possível saber quantas vezes haverá ovulação, justamente pelo ao número de folículos. E normalmente, quanto mais cedo a mulher menstruar, mais cedo entrará na menopausa.

Existem sintomas da menopausa de curto, médio e longo prazo. Além de alguns psicológicos. Em curto prazo a mulher vai sentir as ondas de calor, alteração do padrão menstrual (que inicia no climatério), ressecamento da pele, ressecamento vaginal e, com isso, uma queda importante do desejo sexual, da libido. Em médio prazo, a elasticidade da pele muda e há queda do tônus muscular – estado de tensão elástica (contração ligeira) que apresenta o músculo em repouso. A incontinência urinária também pode surgir neste período, porque o esfíncter retal começa a ficar com menos elasticidade, devido à ação do estrogênio. E, ainda, dificuldade em perder peso, pois o organismo começa a desacelerar e a mulher acaba tendo um ganho de peso, em média, de 250 g por ano.

Já em longo prazo a menopausa pode influenciar no surgimento de doenças cardiovasculares, bem como a osteoporose. Isso se deve à diminuição do estrogênio. Os sintomas psicológicos são bem comuns, como: a irritabilidade, ansiedade e, muitas vezes, à depressão. O que vai depender muito do meio no qual a mulher está vivendo e das situações de inter-relação pessoal.

Confira o que a ginecologista e obstetra aconselha quanto à ALIMENTAÇÃO, como usar a medicina a favor do bem-estar e como se preparar na Revista Vitalité página 12

Confira também

diclofenaco dúvidas

Diclofenaco Sódico x Diclofenaco Potássico: qual a diferença?

O Diclofenaco pertence a um grupo de medicamentos chamados antinflamatórios não-esteroidais (AINEs), usados para tratar …

aspirina e dor de cabeça

Aspirina como um remédio para dor de cabeça do tipo tensão

Uma dor de cabeça do tipo tensão (TTH) é geralmente de leve a moderada e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *