Google+
segunda-feira , 11 dezembro 2017

Fibromialgia: A doença que tirou Lady Gaga dos palcos

Ela não mata nem causa deformidades e, se o tratamento for feito corretamente, pode não piorar com o tempo.

Após Lady Gaga cancelar sua turnê mundial, que inclusive teria uma passagem pelo Brasil no Rock In Rio, por conta de intensas dores físicas o que a maioria das pessoas se perguntam é: que doença é essa? Por isso, conversamos com o neuropsicanalista Dr. Jordano Copetti e vamos tirar suas dúvidas:

O que é?
A fibromialgia é uma síndrome clínica que se manifesta com dor no corpo, principalmente na musculatura. O neuropsicanalista explica que ela é caracterizada por um grupo de sintomas sem que seja identificada uma causa única para eles. E aponta que 1 a 2 % da população apresenta a doença que é 4 vezes mais comum em mulheres.

É um tipo de reumatismo?
Não existe um consenso do que seja um “reumatismo” e cada pessoa tem uma ideia diferente sobre o termo. Se considerarmos reumatismo toda doença estudada pelo reumatologista então sim, a fibromialgia é um tipo de reumatismo. Outros médicos a classificam dentro do grupo de “reumatismo de partes moles“, isto é, que não afeta as articulações. Vale a pena salientar que a fibromialgia não é uma doença que afeta as articulações, e que não existe o risco de deformidades ou perda de movimentos dos membros.

Quais os sintomas?
A dor apesar de generalizada é mais forte quando se pressiona alguns locais, são os pontos dolorosos da fibromialgia. Normalmente, a doença afeta músculos, tendões e ligamentos e, por isso, prejudica a qualidade de vida do paciente.  A doença não mata nem causa deformidades e, se o tratamento for feito corretamente, pode não piorar com o tempo. O Dr. Jordano também explica que dores de cabeça, enxaqueca, dor no peito, azia e síndrome do intestino irritável, são comuns em pacientes com fibromialgia e, até 50% dos pacientes com fibromialgia também apresentam depressão ou ansiedade.

– Fadiga e rigidez muscular;
– Problemas de concentração e memória;
– Dor por todo o corpo, difícil de definir o que está doendo, porém é mais evidente nos músculos;
– Distúrbios do sono, acordando com a sensação que não dormiu;
– Cansaço frequente e sonolência;
– Sensação de formigamento nas mãos e nos pés;
– Alterações intestinais como surgimento de diarreia e prisão de ventre;
– Ansiedade e sintomas de depressão
– Músculos duros;
– Dor de cabeça e tonturas;
– Alteração da atenção, concentração e perda de memória.

Tratamento

“Embora muitas formas alternativas de tratamento possam ser utilizadas em consultório, como a estimulação magnética cerebral, otimização hormonal e o uso de nutracêuticos (suplementos naturais)”, o Dr. Jordano afirma que uma forma eficaz de melhora dos sintomas é o exercício físico, que “deve começar de forma gradual e ir aumentando gradativamente em intensidade. Além disso, melhora a qualidade e a quantidade de sono. Esta dupla, sono e exercício, é imbatível na luta contra a doença.”

 1. Fisioterapia
Para melhorar os movimentos deve-se apostar na fisioterapia, pelo menos 2 vezes por semana, através de massagens terapêuticas, alongamentos e exercícios de relaxamento;

2. Ter acompanhamento psicológico
Deve-se realizar terapia cognitivo-comportamental com um psicólogo para ajudar o paciente a viver com os sintomas crônicos, principalmente, a saber lidar com a dor crônica.

3. Acupuntura
Tratamentos naturais como acupuntura que consiste na aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo aliviam a dor, no entanto ainda não há um consenso sobre sua utilidade e ação terapêutica na fibromialgia e, por isso, pode ter resultado em alguns pacientes e em outros não.

Confira também

Tática para envelhecer com saúde

Envelhecer é um processo natural e inevitável cujos sinais iniciam a partir dos 30 anos. …

Você sabe como armazenar o leite materno?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde recomendam o aleitamento materno …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *