Google+
domingo , 10 dezembro 2017
câncer de próstata

A importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata

câncer de próstataO cuidado com a saúde deve ser constante durante toda a nossa vida. Mas quando atingimos determinada idade, precisamos redobrar a atenção e investigar nosso corpo com mais propriedade e com maior frequência. No mês de novembro, lembramos como é importante o cuidado e o acompanhamento da saúde do homem por meio da campanha Novembro Azul, apoiada pelo Laboratório Bisso e que também aborda a detecção precoce do câncer de próstata.

No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer – INCa, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, ficando atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. Mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. No entanto, a Sociedade de Urologia indica que o acompanhamento com um médico comece a partir dos 45 anos. Homens com histórico familiar de câncer, negros e obesos devem começar antes, aos 40.

Acompanhamento
Nos últimos anos houve um aumento nas taxas de incidência desta doença no Brasil, que pode ser parcialmente justificado pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação, pelo aumento na expectativa de vida e pela evolução dos métodos de diagnóstico, dos exames. Por isso, lembramos que a detecção precoce é de suma importância para a cura e pode acontecer de várias maneiras.

Procurar um especialista é o primeiro passo para iniciar o acompanhamento que pode envolver diversos tipos de exames, como o PSA total, o PSA livre – e a relação livre/total, a ultrassonografia prostática e o toque retal. Juntos, eles auxiliam o médico no diagnóstico preciso para apontar ou eliminar a doença.

Adriano Bisso – Biomédico Residente em Gestão

Confira também

Tática para envelhecer com saúde

Envelhecer é um processo natural e inevitável cujos sinais iniciam a partir dos 30 anos. …

Você sabe como armazenar o leite materno?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde recomendam o aleitamento materno …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *