Google+
sexta-feira , 20 outubro 2017

Aprenda de jeito simples a fazer a educação alimentar do seu filho

Dra.Estela Giordani

Muitos pais e mães me procuram para tratar do assunto da alimentação dos filhos, porque é comum algumas famílias encontrarem dificuldades de fazer os filhos comerem nas horas certas das refeições. No entanto, muito mais o que falar sobre alimentação, precisamos entender a interioridade da criança. Mas qual a relação entre a alimentação e a interioridade da criança?

Todo ser humano possui dentro de si, algo que é próprio seu, um espaço onde pensamos aquilo que nós desejamos, um espaço onde eu digo o que eu quero e o que eu não quero, o que gosto e o que não gosto. E, também seu filho tem esse espaço que é só dele, é nele que tem a possibilidade de decidir todas as coisas, inclusive de decidir quem ele é, que caminho ele pode tomar. E por isso, nós que somos adultos, na relação com a criança, aos poucos, devemos começar a educa-la a procurar descobrir o que seu próprio corpo está dizendo, o que ele está querendo que ela entenda.

Por exemplo, se vamos comer, devemos experimentar o alimento e perceber o que este alimento está me dizendo, o meu corpo está dizendo: “me agrada” ou “me desagrada”? E isso também diz respeito à quantidade e ao tipo de alimento que a criança consome.

Certo dia eu estava em um aeroporto na sala de embarque e vi um pai com seus filhos. Uma menina, que deveria ter aproximadamente, sete ou oito anos e já era bem gordinha, e um menino, que deveria ter uns três ou quatro anos. O menino estava comendo um pacotinho de biscoito, e ele não conseguiu comer o pacote todo. A menina já tinha comido um sanduíche, aqueles duplos, que era bem grande para ela e provavelmente já deveria ter saciado a sua fome. E, surpreendentemente, o pai, pegou o pacotinho de biscoito do menino e entregou para a filha, dizendo o seguinte: “Termina de comer filha.” Essa é uma atitude que muitas vezes os adultos acabam fazendo sem se dar conta, na maior ingenuidade, no entanto é muito ruim para as crianças.

Portanto, o que eu quero deixar claro, quando eu me referi que precisamos entender a interioridade da criança é justamente isso! Não podemos incentivar a criança a consumir mais alimentos do que necessita, pois muitas vezes ela já está saciada. Precisamos ensiná-la a entender o seu organismo. Ela deve saber que quando um alimento a deixa saciada, ela não precisa comer mais alguma coisa. Você sabia que quando incentivamos que a criança coma mais “para terminar de comer o que sobrou”, estamos gerando uma ansiedade para conseguir concluir tudo, ou uma proibição de que não pode deixar comida sobrando e tem que comer tudo? Nós, quando fazemos isso, começamos a criar uma série de critérios externos e não auxiliamos a criança a aprender, a utilizar a linguagem que ela tem dentro dela, o que o mundo interior dela está dizendo.

Quer saber mais sobre essa e outras temáticas? Acesse meus canais e me escreva suas dúvidas.

https://www.facebook.com/draestelagiordani/?fref=ts

http://www.comoeducarmeufilho.com/

https://www.youtube.com/channel/UCWA3AiykDKc0-uQdjn9FRCA

Confira também

10 dicas para prevenir a alergia na primavera

Conhecida como a estação mais bela do ano, a primavera chega para alegrar nossas vidas …

9 dúvidas que você precisa tirar sobre o câncer de mama

– No Brasil todos os dias são descobertos 156 novos casos- O Outubro Rosa é …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *